Fique por dentro do que acontece em Inovação, Projetos, Engenharia e Gestão.

Voltar

Noticia

O DNA do Inovador

Pesquisadores relatam as cinco caraterísticas que fazem uma pessoa ser mais inovadora.

“Como faço para encontrar pessoas inovadoras para minha empresa? E como faço para me tornar mais inovador?”

Estas são questões para muitos executivos que compreendem que a habilidade de inovar é o ingrediente especial para o sucesso de seus negócios. Infelizmente a maioria de nós sabe muito pouco sobre o que torna uma pessoa mais criativa que a outra. Na busca por respostas os autores realizaram um estudo para compreender a origem de estratégias de negócios criativos em empresas inovadoras. O objetivo deles foi examinar empreendedores inovadores para descobrir quando e como surgiram suas novas ideias sob as quais construíram seus negócios. Estudaram os hábitos de 25 empreendedores inovadores e realizaram uma pesquisa com mais de 3.000 executivos e 500 pessoas que criaram empresas inovadoras ou inventaram novos produtos.

Um dos pontos que aprenderam foi que na maioria das empresas os executivos não se achavam pessoalmente responsáveis pela realização das inovações e sim somente responsáveis por terem facilitado o processo de inovação. Somente 15% dos executivos não delegavam trabalhos criativos, executando eles mesmos.

Mas como então atuam esses executivos? Os pesquisadores identificaram cinco habilidades (detalhadas no artigo da Harvard Business Review) que distinguem os executivos mais criativos:

  1. Associação;
  2. Questionamento;
  3. Observação;
  4. Experimentação; e,
  5. Networking.

Dentre os empreendedores pesquisados, os inovadores dispendem 50% mais tempo nessas atividades que os outros.

O que faz os Inovadores diferentes?

Empreendedores inovadores têm o que se chama de inteligência criativa, conectando os dois lados do cérebro para alavancar essas cinco habilidades na criação de novas ideias.

Para exemplificar o conceito de DNA inovador, e como este irá variar de pessoa para pessoa, os pesquisadores sugerem o seguinte:

Imagine que a dois gêmeos idênticos é dada uma semana para apresentarem uma ideia inovadora de novo negócio. Durante essa semana, um dos gêmeos fica fechado no quarto, construindo suas ideias. O outro gêmeo (1) fala sobre sua ideia com 10 pessoas – incluindo um engenheiro, um músico, um pai que fica em casa e um designer, (2) visita três start ups inovadoras para observaram o que fazem, (3) analisa cinco produtos novos para o mercado, (4) apresenta um protótipo que construiu para cinco pessoas e, (5) faz as perguntas “E se eu tentar isso?” e “Por que você fez isso?” ao menos 10 vezes por dia durante essas atividades de networking, observação e experimentação. Em qual dos dois gêmeos você apostaria que apresentaria uma ideia mais inovadora?

Estudos mostram que nossa habilidade de pensar criativamente vem 1/3 da genética e 2/3 de habilidades de inovação que podem ser aprendidas – primeiro compreendendo dada habilidade, praticando, experimentando e, por fim, adquirindo confiança em sua capacidade de criar.

Um estímulo a mais para sermos inovadores!

A notícia completa pode ser vista no site da Harvard Business Review:

https://hbr.org/2009/12/the-innovators-dna?cm_sp=Topics-_-Links-_-Read%20These%20First



Entre em Contato