Fique por dentro do que acontece em Inovação, Projetos, Engenharia e Gestão.

Voltar

Noticia

Colocando a Diversidade em Primeiro: Como Construir uma equipe 'Classe A'

Essa semana, a Forbes trouxe um artigo claro e bastante objetivo sobre a importância das empresas terem equipes com diversidade de perspectivas, como forma de garantir crescimento, o que foi chamado pelo autor de equipe ‘Classe A’.

Entre as muitas razões pelas quais startups falham está a cultura de obstinação e o pensamento restrito. Particularmente no meio da tecnologia, dominado por homens, o comprometimento irracional a uma visão em particular pode cegar os fundadores e investidores, levando a falhas gritantes na lógica. Para combater isso, bons líderes buscam a diversidade de opiniões para ajustar sua abordagem, levando a um caminho de sucesso. Aprendi, contudo, que perseguir a diversidade de opiniões não é suficiente. Para terem sucesso, os fundadores precisam buscar a diversidade de perspectivas.

Não confunda diferença de opinião com diferença de perspectiva

Ao longo de grande parte da história de nossa empresa, tivemos um time totalmente masculino, mesmo entre nossos numerosos parceiros externos. Isso não era intencional, e como CEO, eu estava comprometido em cultivar uma cultura empresarial na qual a diversidade de opiniões era importante. Deste modo, em muitos momentos tivemos membros da equipe e conselheiros discutindo fortemente sobre um tópico, tendo conversas acaloradas sobre nossa estratégia, produto e marketing. Contudo, ao refletir sobre essas conversas, se torna claro que a diferença de opiniões estava somente em termos táticos. Não importava o quão forte as pessoas discordavam, no fundo nós estávamos analisando os desafios e decisões sob a mesma perspectiva. Analisando o passado, isso parece óbvio – o que você espera quando coloca um monte de homens com pensamento técnico e relativamente jovens juntos em uma sala para resolver um problema? O padrão será ter como resultado um conjunto de ideias e soluções altamente alinhadas.

Diversidade tem que ser cultivada

Quisemos mudar essa dinâmica cultivando intencionalmente uma equipe mais diversa em todos os sentidos. Isso significa que tivemos que colocar diversidade de perspectivas como linha de frente no nosso processo de recrutamento, enquanto ainda mantínhamos o foco nos candidatos mais qualificados. Quando contratamos mais mulheres, descobrimos que estávamos tendo discussões muito mais significativas e tomando decisões mais impactantes. A mudança cultural foi importante e benéfica. Aprendi que cultivar uma cultura com muitas perspectivas diversas importa se você quer desenvolver produto, estratégias e negócios bem equilibrados. Agora, quando contratamos, buscamos candidatos com perspectivas que nos desafiem a abordar problemas de modo diferente e que pensem sobre nossa empresa em diferentes caminhos. O que aconteceu foi que, ao fazer isso, melhoramos significativamente o desequilíbrio de gênero na BodeTree. Ao longo dos últimos anos, passamos de uma equipe 100% dominada por homens a uma na qual 43% do nosso staff é feminino.

Combine a diversidade de sua equipe a dos clientes que você atende

Quando quisemos trazer uma maior variedade de perspectivas para o negócio, não definimos especificamente que iríamos contratar mais mulheres. Ao invés disso, trabalhamos para criar uma cultura equilibrada que tivesse pouca semelhança com o padrão de startups que infelizmente estávamos familiarizados. Nossa meta era igualar a diversidade de nossa equipe com a diversidade de nossa base de clientes, deste modo todo cliente sentiria que estava sendo representado. Mantendo nosso compromisso fundamental com a diversidade e, regularmente analisando o caminho que estávamos percorrendo, para garantir que estava refletindo a perspectiva de nossos clientes, descobrimos que os candidatos certos estavam sempre no topo de nossa lista. Nossa abordagem não era uma questão de pleitear postos para as mulheres ou qualquer outro grupo; ao invés disso, transformamos nossa empresa para que pessoas com repertórios variados quisessem fazer parte dela. Nós focamos em nossa missão de servir melhor os pequenos negócios e em nosso compromisso de honestidade intelectual, assim atraímos um conjunto de candidatos únicos e altamente qualificados. Como resultado, nosso produto melhorou, nosso marketing prosperou e nosso negócio entrou em seu maior período de crescimento.

Startups que falham na busca pela diversidade de perspectivas ou contratam somente pela busca de um melhor equilíbrio entre os gêneros internamente estão cometendo um grave erro. Esse comportamento só ira perpetuar as fraquezas existentes e impedir que o negócio atinja seu potencial máximo. Abordar o equilíbrio de gênero como uma questão estratégica e cultivar uma cultura na qual a diversidade de perspectivas não é somente tolerada mas sim valorizada, será um longo caminho que ajudará a empresa a crescer e prosperar.

Chris Myers é Cofundador e CEO da BodeTree, empresa de aplicativo web projetado para pequenos negócios gerenciarem suas finanças.

O artigo original você pode ser em: http://www.forbes.com/sites/chrismyers/2015/12/02/putting-diversity-first-how-to-build-an-a-team/2/



Entre em Contato