Fique por dentro do que acontece em Inovação, Projetos, Engenharia e Gestão.

Voltar

Noticia

A Psicologia por trás do Desenvolvimento de Produto

Você finalizou o desenvolvimento de seu produto. Ficou ótimo, é útil e diferente de tudo que os consumidores já viram. Mas isso é o suficiente?

Como você pode supor, a resposta é “Não”. A história está cheia de produtos que caíram no esquecimento, apesar de atender a todos esses critérios mencionados, enquanto outros mantêm boas fatias de mercado a décadas, com suas fórmulas secretas como a Coca-Cola. Claramente existe mais no desenvolvimento de produto do que a estética, utilidade e inovação (embora esses sejam certamente importantes).

Se você sente que seu produto precisa de mais alguns ajustes, tente analisa-los por meio de lentes psicológicas. Seu consumidor ideal vai olhar seu produto e dizer “Nossa, eu preciso disso?” ou eles vão descrevê-lo na internet como “terrível” ou pior ainda, “esquecível”? Para responder a essas perguntas, vamos falar sobre o que faz os compradores não esquecerem um produto e como você pode usar isso como vantagem.

Você é suscetível aos princípios da influência.

Em seu livro “Influência: A Psicologia da Persuasão”, Dr. Roberto Cialdini elencou seis princípios da persuasão:

1. Reciprocidade: quando você percebe que uma pessoa te fez um favor, você se sente obrigado a retorná-lo. Por exemplo, se você oferece uma amostra grátis de um produto no supermercado, e um comprador aceita, esse comprador estará mais sujeito a comprar o produto, por se sentir compelido a retribuir sua “generosidade” inicial.

2. Prova social: quando você não sabe o que fazer, você olha para o que os outros estão fazendo para ter ideias. Se você não sabe ao certo como atua um creme anti-idade, por exemplo, uma olhada em fotos “Antes” e “Depois” de alguém que usou o mesmo creme pode convencê-lo sobre a eficácia do creme.

3. Comprometimento e Consistência: se você já tem um ideal sobre quem você é, ou quem você quer se tornar, você vai querer que sua imagem seja consistente com esse ideal. Assim, quando você se imagina uma pessoa “cool”, por exemplo, e pessoas como Steve Jobs desenvolveram os produtos da Apple para pessoas descoladas, você está reforçando essa auto-imagem comprando um iPhone, iPad.

4. Gosto: pode soar bastante intuitivo, mas você tende a estar entorno de pessoas que você gosta. Geralmente pessoas simpáticas têm boa aparência, de algum modo parecidas com você e/ou têm personalidades agradáveis. Se você conhece alguém com duas ou mais dessas qualidades, contratá-lo para endossar seu produto pode ser uma boa ideia.

5. Autoridade: Você também gosta de quem sabe do que está falando (ou ao menos que pareça saber sobre o que está falando). Por isso as celebridades com lindos cachos fazem propaganda de shampoo, atletas de topo fazem propaganda sobre bebidas energéticas, e por aí vai...

6. Escassez: quanto mais raro, mais valioso. Exemplos disso incluem joalherias, artefatos de museus e boas liquidações “por tempo limitado!”

Tenha em mente, entretanto, que esses princípios funcionam melhor quando unidos a certas condições.

Você constantemente busca padrões

Estando você consciente disso ou não, seu cérebro está sempre preenchendo espaços em branco. Quando você analisa randomicamente imagens e as une você pode “ver” coisas que estão ou não de fato em sua frente. É o chamado Princípio da Gestalt.

O reconhecimento de padrões foi muito útil a nossos ancestrais quando estavam explorando o mundo. Se você já viu um tigre dente de sabre antes, e você vê um par de olhos felinos e dentes na mata, você deve tomar esse reconhecimento como sugestão para correr em outra direção imediatamente.

Quando aplicamos isso ao contexto dos negócios, torna-se essencial olhar seu produto sob todos os ângulos possíveis. Caso contrário, você pode cometer uma gafe como fez a Starbucks no último Natal. A rede lançou um adorável biscoito de um urso polar, com um cachecol vermelho que, analisando sob esse ponto de vista de reconhecimento de padrões, tornava-se bastante assustador. Imagens do biscoito rodaram as redes sociais sobre o urso “sangrando” após ser ferido no pescoço.

Nós nos movemos ao redor de faces humanas

Imagine uma foto de uma maça. Agora imagine outra foto, desta vez de uma bela garota mordendo a mesma maça e adorando isso. Qual foto você acha que irá convencer as pessoas a comprarem a maçã? Seu palpite é tão bom quanto o nosso.

Como dito antes, você gosta do que é similar a você – nesse contexto, outros humanos. Além disso, você está programado para ler e reagir a expressões faciais, uma habilidade muito útil para sua socialização com outros. Se você quer que seus cliente se sintam bem com seu produto, é uma ótima ideia usar pessoas para propagar o produto que estejam com expressões associadas a positividade, como felicidade, prazer, etc.

Nós respondemos às cores e outras indicações visuais

Já notou como as cadeias de fast-food incorporaram vermelho e amarelo nos seus logos? Isso porque essas cores estão associadas à fome e emoção. Da mesma forma, cores brilhantes estão associadas à energia e felicidade, fazendo delas as cores ideais para pacotes de balas e afins. Se seu produto for de prateleira, é importante considerar o que irá estar entorno do seu produto pois isso poderá ajudar você a decidir qual esquema de cores fará sua embalagem se destacar do resto.

As cores não são os únicos indicativos visuais aos quais você responde. Você também programações de contexto, que ditam coisas do tipo como você anda em um supermercado, como você lê um texto em um website, como fotos em um folheto fazem você querer virar as páginas, etc. Os melhores projetistas estão atentos a isso, e incorporam isso de forma tão habilidosa no produto final que os consumidores dificilmente notarão.

Como nota final, vale enfatizar que esses conceitos psicológicos não devem ser usados para tomar vantagem dos consumidores. É importante, antes de tudo, embasar tudo isso em um sólido produto. Só assim você trará os compradores hoje e por todos os anos mais a frente.

Nós, do Innovation Office, acreditamos que você conseguirá desenvolver esse produto de qualidade técnica, diferenciado e que passe toda essa mensagem positiva aos consumidores com muito mais facilidade se tiver o apoio de uma equipe multidisciplinar que traga todas essas diferentes visões ao projeto. Invista nesse outro olhar, veja seu produto sob todas as perspectivas e lance produtos de sucesso.

Fonte: http://newswatchtv.com/2016/03/29/consumer-news-product-design/



Entre em Contato